Transporte X logística: qual a diferença entre os dois conceitos?

Gastos com logística englobam mais do que 12% de todo o faturamento da empresa. Portanto, um dos principais objetivos de qualquer negócio é otimizar os gastos desse aspecto empresarial, de modo a ser cada vez mais eficiente.

Apesar de ser algo tão importante para os negócios, muitos ainda confundem conceitos que são parecidos, mas que não necessariamente são iguais. Por isso, os especialistas da PWIT ajudam a entender, de uma vez por todas, a diferença entre transporte e logística.

Conceitos se complementam, mas não são iguais

A confusão em relação a esses conceitos é simples de entender. Afinal, têm relação muito próxima, sendo que um complementa o outro.

Começando pelo transporte, que é o processo operacional que visa levar algo de um ponto A para o ponto B. Normalmente, é o transporte de cargas ou o transporte urbano de pessoas. É um conceito que faz parte da logística, que é mais abrangente.

logística é um dos pilares da gestão empresarial, que visa atender a demanda dos consumidores. Ou seja, inclui a Gestão de Transporte, mas também de todo o resto. Por exemplo, a criação da cadeia de suprimentos faz parte da logística, e não apenas a entrega direta do produto.

Pode ser entendida como todo a organização de todo o processo de produção, de ponta a ponta, que vai desde a coleta de matéria-prima, até a entrega ao consumidor final.

Logística e o transporte na prática

Porém, como ficam esses conceitos na prática de uma empresa? Especialistas da PWIT trazem uma definição bem clara para diferenciar logística e transporte. Logística, aborda o aspecto tático e estratégico. Ou seja, como precisa ser o calendário de compra de suprimentos e de transporte?

Já o transporte, se preocupa com o operacional. Está em uma camada abaixo, mas ainda é extremamente importante. A logística determina que tal produto precisa sair dia X, e o transporte garante as melhores condições para ele chegar lá.

Como otimizar o transporte e a logística?

Como os conceitos se complementam, é essencial que haja uma sinergia entre eles. Ou seja, como o transporte é parte essencial da logística, é preciso pensar no conjunto e buscar formas de otimizar ambos.

Especialistas da PWIT aconselham que o primeiro ponto é conhecer os processos internos que constituem a logística da marca. Dependendo do tipo de produto, a cadeia de suprimentos pode ser bem complexa.

Também é importante ter bastante informação sobre como funciona a empresa. Entender as demandas com antecedência é essencial para otimizar tanto a logística, quanto o transporte. A partir de um sistema de gestão e do histórico da empresa, é possível se planejar bem.

É um processo que pode transformar a empresa para melhor, segundo os especialistas. Ao ter os planos pré-construídos e muito bem planejados, tanto o transporte como a logística são otimizados, de modo a encontrar o equilíbrio perfeito e otimizar os recursos de qualquer empresa.

Por fim, os especialistas também recomendam analisar as falhas. Elas podem dizer muito sobre esses processos e ajudar as empresas a corrigi-las. Mesmo quando algo dá errado, você ainda consegue uma informação valiosa.

Conheça a empresa: PWIT

Semi Truck Maintenance

3 dicas para reduzir os custos de manutenção no seu setor de transportes

Quando não gerido de maneira eficiente, o setor de transportes pode gerar um custo elevado para uma empresa, onerando o seu financeiro e até mesmo fazendo com que esta deixe de crescer da forma que se planejou.

Afinal, reduzindo custos, tem-se mais dinheiro no caixa, que pode ser usado para promover a melhoria dos processos da organização, de maneira a fazer com que cresça e se destaque no mercado.

Ciente da importância disso, montamos este conteúdo para apresentar três dicas para reduzir os custos de manutenção no seu setor de transportes e, assim, geri-lo com eficiência. Confira:

1. Faça a manutenção preventiva de sua frota de veículos

O dia a dia de um setor de gestão de veículos é corrido, o que pode fazer com que os administradores esqueçam de realizar atividades importantes, que podem não apenas reduzir custos relativos à manutenção de veículos, mas também tornar a empresa mais eficiente, como por exemplo, a manutenção preventiva.

Hoje, a manutenção preventiva da frota de veículos é uma das melhores formas para evitar prejuízos que podem gerar custos mais elevados para a empresa.

É uma medida que evita que a organização tenha custos altos com a troca de peças de um veículo, quando, na verdade, se ela tivesse feito a manutenção preventiva, isso não seria necessário.

Nesse sentido, vale destacar alguns dos principais benefícios da manutenção preventiva como uma solução para o seu setor de transportes:

  • Economia de custos;
  • Evita quebras repentinas de peças do veículo, de maneira a aumentar a sua vida útil, o que, no final das contas, colabora para a redução de custos;

Para não esquecer da manutenção preventiva de sua frota de veículos, você pode fazer uso de um bom software de gestão de frotas, o qual, geralmente, conta com alertas automáticos para que lembre dessa importante tarefa.

2. Tenha maior controle em relação às rotas dos veículos

Rodovias, estradas ou avenidas com problemas de manutenção, como por exemplo, buracos, remendos etc., tendem a gerar mais custos para o setor de transporte de uma empresa, uma vez que colocam em risco o funcionamento adequado de seus veículos, considerando que desgastam pneus, entre outros equipamentos.

No entanto, isso pode ser evitado ao ter maior controle em relação às rotas que você cria para sua frota de veículos. Nem sempre pegar a rota mais curta é a melhor opção para uma empresa, vale dizer.

Uma forma de obter maior controle em relação à roteirização é contando com um bom sistema de gestão de frotas.

3. Adote um software de gestão de frotas

Por fim, não poderíamos deixar de destacar a importância de adotar um software de gestão de frotas para redução de custos de sua empresa.

Além de possibilitar que crie um programa de manutenção preventiva para cada veículo e uma rota com estradas em condições adequadas, um software de gestão de frotas permite o acompanhamento de sua equipe em tempo real, onde quer que ela esteja.

Na prática, isso contribui para redução de custos, uma vez que impossibilita que a sua equipe pegue rotas não planejadas ou saia do percurso, podendo, com isso, colocar em risco o adequado funcionamento dos seus veículos. Em outras palavras, gerar mais custos para seu negócio.

Agora que conhece algumas dicas para reduzir custos relativos à manutenção do seu setor de transportes, coloque-as em prática, e dê o fôlego financeiro que a sua empresa precisa para crescer de maneira segura e ágil.

Para ler outros conteúdos como este, não deixe de acessar nosso blog. Combinado? Estamos sempre publicando conteúdos que podem enriquecer mais seus conhecimentos.

Young gorgeous cheerful woman is standing on the bus using the phone and smiling.

Os passos necessários para aumentar a produtividade no setor de transporte

 

Produtividade do transporte urbano é um grande desafio, não somente no Brasil, mas em todo o mundo. Basicamente, são dois grandes problemas: crescer de forma eficiente, com um número cada vez maior de pessoas e veículos, e contribuir para diminuir os impactos no clima.

 

O Brasil chega a 210 milhões de habitantes, com mais de 20%, ou 46,1 milhões, concentrados em apenas 17 municípios, as principais áreas urbanas.

 

Por outro lado, um modelo de transporte sustentável é crucial para a economia dos países. Afinal, esta população precisa se locomover para trabalhar e produzir.

Então, o que é possível fazer para aumentar a produtividade no setor de transporte? Confira o post e entenda os passos necessários para este objetivo.

 

Necessidade do planejamento de crescimento urbano

Por conta da população concentrada na área urbana e o crescimento da população, mais do que nunca, é necessário fazer o planejamento. Contudo, o crescimento da rede de transportes precisa acompanhar o crescimento da cidade, com o incentivo a um transporte inteligente.

 

O ideal é escalar o transporte público, enquanto facilita o uso de bicicletas e até mesmo de caminhadas. Não somente isso é melhor para o ambiente, mas também limita o número de veículos, otimizando o fluxo de transporte.

 

Foco em redes de transporte multimodais e na tecnologia

Uma solução para facilitar o transporte é investir em uma solução multi-modal. Cada vez mais, as cidades incentivam este modelo de transporte, com uma transferência natural e sem barreira para os passageiros. Eles podem, por exemplo, trocar do metrô para o ônibus com a mesma tarifa.

 

Para isso, a tecnologia é uma grande aliada, com a compra inteligente de bilhetes, o que poupa tempo da população. A ideia é permitir que um único cartão ou método de pagamento seja usado para pagar todos os transportes, desde táxis e aplicativos, até bicicletas, metrô e ônibus.

 

Certos países europeus já trabalham neste sentido. O Reino Unido e a Holanda são bons exemplos. Em Londres, 70% dos usuários usam um aplicativo para planejar sua jornada ou para abastecer o “travel card”.

 

É claro que esta solução apresenta um desafio. Afinal, é preciso garantir que todos os meios de transporte são totalmente regulamentados.

 

Planejamento de rotas é possível pela facilidade de receber informações. Estas podem ser recolhidas em tempo real e trabalhadas em conjunto com a Inteligência Artificial para sugerir rotas e meios de transporte otimizados. É claro que o desafio é integrar esta informação.

 

Trocando o carro por outros meios de transporte

Em média, os carros nos Estados Unidos ficam parados a maior parte do tempo, podendo chegar até 96%. Portanto, é considerável incentivar a população a diminuir a necessidade de carros particulares.

 

Em cidades como Londres, Berlim e Nova Iorque, a redução de carros particulares é constante ao longo dos últimos anos.

A cidade de Helsinki na Finlândia, tem um plano ainda mais ousado. O objetivo é estar totalmente livre de carros particulares até 2025. A ideia é trazer um conjunto de opções de transporte público tão eficiente e vantajosa, que não vale a pena ter carro particular.

 

Estes são alguns dos passos necessários para trazer mais produtividade no setor de transporte. Diversas destas soluções também podem ser aplicadas na sua empresa, para torná-la mais eficiente. Então, fique de olho nosso blog para conhecer todas as novidades em relação ao transporte urbano!

LGPD: saiba como ela está impactando no setor de logística

 

 

LGPD já está chegando, e enquanto a sua data prevista para entrar em vigor foi adiada, muitas empresas já estão se preparando para ela. É uma lei que tem impacto direto em qualquer empresa que use os dados dos usuários, mas também impacta outros, como o setor de logística.

Afinal, o setor de logística é um enorme fator no transporte de cargas em vendas de e-commerces, por exemplo, assim como no transporte urbano. E a nova lei acaba afetando ambos os setores.

Então, se você quer entender como, continue lendo o post. Descubra como a LGPD está impactando o setor de logística.

 

Como a LGPD afeta as empresas de transporte urbano?

transporte urbano precisa se preocupar, e muito, com a LGPD. Afinal, é um setor que acaba movimentando um volume colossal de dados dos usuários.

Além disso, conforme as empresas que fazem este transporte cada vez mais implementam soluções para fidelizar, facilitar a vida dos usuários etc. O problema é que para promover estas soluções é preciso, invariavelmente, coletar os dados dos usuários.

Qualquer empresa de logística que manipule dados dos usuários, precisa ficar atento às repercussões da LGPD. Por exemplo, informações de cadastro, como o e-mail e formas de pagamento são comuns. Portanto, é preciso saber como tratá-las.

 

O que é preciso fazer para se adequar a LGPD?

Seja no setor de entregas ou no transporte urbano, existem muitas informações sobre o cliente que as empresas coletam. Portanto, a LGPD demanda que é preciso lidar com elas. O primeiro passo, é fazer o planejamento de ações que promoverão o controle e a segurança destas informações.

Para isso, é preciso que as empresas do setor de logística façam um mapeamento da jornada das informações dos clientes. Ou seja, entendam quais são as informações deles que são recolhidas e como são tratadas pela empresa. Assim, é possível estabelecer parâmetros de controle e fiscalização para cada um deles.

Do ponto de vista mais superficial, a LGPD pode ser vista como apenas um empecilho. Uma obrigação da lei, que existe apenas para ser cumprida. Por outro lado, o gestor mais atento, pode observá-la como a oportunidade que é.

Invariavelmente, a LGPD fará com que as empresas do setor de logística olhem para si mesmas. Inicialmente, com o objetivo de segurança, mas é natural que as empresas percebam oportunidades que os dados podem trazer.

 

Como criar uma gestão focada na inteligência de dados

A grande mudança que a LGPD trará para as empresas do setor de logística é a “obrigação” em se tornar mais focada nos dados. A partir disso, o objetivo passa a ser mais que segurança, mas o uso da inteligência dos dados para trazer serviços de transporte que sejam mais eficientes. É uma forma de combater o grande desafio de lidar com o transporte urbano.

A inteligência de dados é um ponto de partida para as cidades inteligentes, tornando o transporte urbano ainda melhor. Para as empresas que fazem este transporte, é uma forma de otimizar melhor os recursos usados no transporte, como a otimização de rotas, de horários e do fluxo de veículos.

O que você acha? Quer entender mais como a LGPD e a tecnologia podem impactar o setor de logística? Então, confira outros artigos do nosso blog para não perder nenhuma novidade!

 

 

 

Os impactos que o coronavírus trouxe para o transporte e logística

A pandemia da Covid-19 impactou significativamente a sociedade, bem como o mercado. Uma consequência direta dessa situação foi o fechamento de muitas empresas, por exemplo, sobretudo daquelas que operam fisicamente.

Não foi diferente com relação ao setor de Transporte e Logística. Este também sofreu fortes impactos, tendo as empresas que fazem parte dele que se reconfigurar para sobreviver nesse mercado.

Nesse sentido, para que você fique por dentro desse assunto, montamos este conteúdo para apresentar os principais impactos que o Coronavírus trouxe para o Transporte e Logística. É uma forma de você ficar atento e tomar as medidas necessárias para garantir a sobrevivência do seu negócio.

Confira:

Redução de cargas para transporte de alguns segmentos do mercado

De acordo com uma matéria publicada pela revista Mundologística, um dos principais impactos causados pela Covid-19 no setor de Logística e Transporte foi a redução do volume de cargas para transporte aéreo, marítimo e rodoviário.

Na visão de Marcos Antônio, diretor de uma empresa de Logística, o setor de Transporte de Carga mais afetado foi o aéreo, devido ao isolamento social, o qual reduziu de maneira drástica o número de embarques. Muitas das cargas são transportadas em voos domésticos, complementa ele.

No entanto, para Antônio, o setor de Transporte Rodoviário de Carga Expressa sofreu um movimento inverso, positivo. Isso se deu em virtude das estradas vazias, o que fez com que as mercadorias chegassem ao seu destino final com maior agilidade, e do crescimento do mercado eletrônico.

Queda da receita de transportadoras de cargas de bens não essenciais

Por outro lado, sofreram queda em sua receita as transportadoras de cargas de bens não essenciais, como:

– Móveis;

– Utensílios domésticos;

– Material de construção;

– Entre outros.

A pandemia da Covid-19 alterou, de certo modo, o comportamento do consumidor, fazendo com que priorizasse certas compras em detrimento de outras.

Com outras palavras, o consumidor priorizou a compra de alimentos e, com isso, desaqueceu a cadeia de suprimentos ligada aos bens considerados não essenciais, afetando, assim, o setor de Transporte e Logística ligada a esse setor.

Logística e transporte de combustível

Ainda conforme a revista Mundologística, operadores de Logística e Transporte focados no transporte de combustível, ou seja, gasolina, etanol e diesel, também foram significativamente afetados.

Isso ocorreu em virtude do isolamento social, o que fez com que as pessoas só se deslocassem quando realmente necessário.

Dito de outra maneira, a pandemia da Covid-19 reduziu de maneira expressiva o deslocamento das pessoas, o que, diretamente, afetou o consumo de combustível e, consequentemente, a cadeia logística e de transporte associada a esse segmento de mercado.

Como se pode visualizar, o setor de Transporte e Logística foi significativamente afetado pela pandemia da Covid-19.

De um modo geral, o que podemos dizer é que alguns setores do mercado de Transporte e Logística foram beneficiados, como transporte de produtos essenciais, com:

– Alimentos;

– Remédios;

– Etc.

Já outros, no entanto, afetados, como transporte de produtos não essenciais.

Gostou deste conteúdo e gostaria de ler outros? Então, não deixe de acompanhar as publicações em nosso blog. Estamos sempre compartilhando artigos que podem enriquecer mais seus conhecimentos.

A indústria indo muito mais além da fabricação dos produtos, é preciso inovar!

Foram se os dias em que a proposta de valor de produção industrial era relativamente simples: os fabricantes industriais fabricavam os produtos e os entregavam. Agora, o trabalho dos fabricantes não termina com a entrega. Impulsionados por clientes cada vez mais exigentes e apoiados pela ampla adoção da Internet das Coisas (IoT) e do crescente poder do machine learning e da inteligência artificial, os fabricantes industriais estão desenvolvendo novos recursos para rastrear grandes volumes de dados gerados por milhares de dispositivos e ajustando o serviço de acordo com as circunstâncias.

 

Eles precisam ter capacidade de resposta e adaptação em tempo real e estar sempre disponíveis. Em suma, a simples fabricação de um excelente produto deixou de ser suficiente. Os fabricantes industriais precisam ser capazes de colaborar com os clientes, desde a descoberta até o design, o serviço e muito mais.

 

Para assumir o lugar na economia da experiência, o setor de maquinário e componentes industriais precisa adotar uma transformação radical na empresa, orientada pela adaptação de mudanças técnicas, culturais e organizacionais.

 

Por que as Indústrias precisam se transformar digitalmente?

Porque os clientes exigem os serviços necessários à medida que passam pela própria transformação com provedores de serviços totalmente digitais, e os clientes deles exigem o mesmo. O resultado é uma mudança substancial no modo como os fabricantes industriais devem se aproximar e interagir com os clientes para garantir a experiência ideal em cada ponto de interação. O caminho daqui em diante é transparente e complexo. Exige um olhar atento às forças externas e foco total nas prioridades estratégicas internas. Externamente, o mundo enfrenta enormes desafios sociais, econômicos e ambientais que prometem remodelar o cenário industrial. Ao mesmo tempo, as expectativas do cliente estão aumentando, a transformação digital continua apresentando desafios organizacionais, a concorrência surge de origens inesperadas e a globalização dos mercados e dos talentos requer novos níveis de flexibilidade. Empresas bem sucedidas estão focadas em cinco prioridades estratégicas:

  • Manter o foco no cliente
  • Atender o segmento individualizado
  • Adotar produtos e soluções digitais inteligentes
  • Implementar a cadeia de suprimentos digital e a fábrica inteligente
  • Desenvolver modelos de negócios baseados em serviços.

Entenda o futuro das Indústrias para os próximos cinco anos e as vantagens de ser uma Empresa Inteligente.

Estima-se que até 2025, mais da metade das receitas dos fabricantes industriais virão dos serviços. Esses serviços serão prestados em qualquer parte do mundo e terão como base produtos altamente personalizados e digitalizados. Eles vão abranger tudo, desde os simples serviços de reparos até os modelos mais complexos de resultado como serviço e a monetização de ativos de dados.

 

As empresas que adotam plenamente o conceito de Empresa Inteligente na economia da experiência, ou seja, aquelas que podem integrar processos anteriormente isolados, tecnologias inteligentes e segmentos de dados do mundo real das experiências de clientes e colaboradores, vão assumir a liderança. Essas empresas vão executar processos integrados e automatizados, que sejam transparentes e conectados ao mundo real. Elas vão conversar com as máquinas na fábrica, com os produtos criados, interagir com as pessoas e estar ciente de tráfego, tempo e opiniões e feedback dos clientes.

 

Essa conexão com o mundo real permite que os processos de negócio tomem decisões inteligentes de modo autônomo. Eles vão prever e solucionar criativamente os problemas antes que alguém perceba. A automação dessas decisões vai liberar as pessoas do trabalho repetitivo para que se concentrem mais nas tarefas de alto impacto.

 

Em suma, os vencedores serão as empresas com maior foco no cliente. Serão aquelas comprometidas com a própria transformação digital para viabilizar a transformação de seus clientes. Essas empresas promoverão uma mudança radical no modelo de negócios ao pensar em vida útil, desempenho e uso, exatamente como os clientes.

 

Continue acompanhando nossos artigos.

3 dicas para reduzir os custos na gestão de transportes do seu negócio

Gerir adequadamente os transportes do seu negócio se torna, hoje, uma atitude indispensável para quem busca não apenas reduzir os custos, mas também obter crescimento. A gestão de transportes eficiente está diretamente relacionada a objetivos como aumento da satisfação do cliente, fidelização do consumidor e produtividade operacional.

Ciente, no entanto, que muitos dos gestores encontram dificuldades para reduzir os custos na gestão de transportes do seu negócio, elaboramos este conteúdo para apresentar três dicas que podem lhe ajudar.

Confira!

1. Conte com um sistema de gestão de frotas

Pegar caminhos errados ou caminhos com obstáculos é algo bastante comum no universo de quem conduz veículos, seja urbano (coletivo, por exemplo) ou voltado para a entrega de cargas. É algo que pode ocorrer até mesmo com o mais experiente dos motoristas.

Então, para resolver esse problema e, assim, evitar gastos, a sua empresa pode adotar um sistema de gestão de frotas, que a permita criar uma rota antes do condutor do veículo sair para as ruas.

Geralmente, um sistema de roteirização moderno é capaz de garantir o caminho mais rápido e econômico, fazendo assim com que o motorista de sua empresa alcance o seu objetivo, que pode ser entregar uma carga ou levar um grupo de pessoas para certo destino. Além disso, o sistema de gestão de frotas permite o monitoramento de veículos, garantindo a você, maior controle.

2. Conte com uma tecnologia de gestão (geral, com várias funções)

Outra coisa que pode fazer para garantir a eficiência da gestão de transportes de sua empresa é adotar uma tecnologia de gestão, que permita a você muito mais que traçar rotas, mas fazer a administração financeira do setor.

Hoje em dia, a maioria das empresas destina um orçamento próprio para cada setor, dentre eles o de logística, que fica responsável, geralmente, pela gestão de transportes. Ao contar com uma tecnologia de gestão, é possível acompanhar como esse orçamento está sendo utilizado, de acordo com o que foi planejado ou não.

Com base nessa informação, a sua empresa pode tomar decisões capazes de fazer com que tal setor se torne mais eficiente e econômico, destacando-se.

3. Faça a manutenção preventiva dos veículos

É dever do setor de logística de uma empresa zelar eficientemente pelos veículos que ela possui, os quais são geralmente utilizados para escoar seus produtos ou realizar o transporte de pessoas, que podem ser funcionários ou cidadãos comuns.

É papel de tal departamento também promover a manutenção preventiva, que tem como principal objetivo, entre outros, garantir que a empresa reduza custos com potenciais gastos que podem decorrer de um problema ainda maior em relação aos veículos.

A manutenção preventiva é uma alternativa econômica e eficaz, que pode garantir que a empresa não só funcione adequadamente, ou seja, com eficiência operacional, mas que reduza custos.

O que achou deste conteúdo? Esperamos que ele tenha facilitado mais o seu dia a dia, sobretudo, com relação à gestão de transportes eficiente e econômica.

Para ler outros como este, não deixe de acompanhar as publicações em nosso blog, combinado? Nele estamos sempre publicando conteúdos que podem tanto enriquecer seus conhecimentos, como potencializar sua gestão de logística.

IoT ESTA REVOLUCIONANDO O MERCADO

 

A ThoughtWorks, consultoria especializada em tecnologia, acaba de lançar uma nova publicação. A publicação é o resultado de encontros realizados duas vezes ao ano pelas equipes da empresa para discutir ideias sobre novas tecnologias, desenvolver, pesquisar, testar e melhorar softwares. A edição mais recente, a 18ª, realizada em março, em Sidney, na Austrália, teve como destaque a internet das coisas (IoT, na sigla em inglês).

 

Internet das coisas é a internet que conecta  objetos e permite que eles se comuniquem entre si: câmeras de segurança, smartphones, smart TVs, videogames, sistemas de iluminação, máquinas industriais, carros e assim por diante. A rigor, qualquer equipamento pode ser conectado a ela. Trata-se de um conceito com aplicações nas mais diversas indústrias e que vem ganhando espaço rapidamente. Entre as novidades, começam a chegar ao mercado  geladeiras interconectadas ao celular para controle de temperatura, sistemas de som, lâmpadas com bluetooh, alarmes de incêndio a um toque de distância, máquinas de lavar que podem ser programadas à distância, portas com QR code, portões e sistemas de irrigação programáveis.

 

O tema é relevante para o atual cenário. A adoção de IoT em pequenas, médias e grandes empresas — ou indústrias —, gera maior produtividade, otimiza o tempo e, apesar do custo elevado de adoção, permite redução das despesas no longo prazo. Um exemplo vem do Reino Unido. Lá foi desenvolvido um sistema de monitoramento de vacas produtoras de leite por meio de um colar com sistema IoT, que ajuda os produtores a preverem com precisão a produção de leite para cada ano. Estes colares possuem um sensor sem fio que transmite dados sobre a saúde do animal e a quantidade de leite que está produzindo. Os dados ajudam os produtores a identificar vacas doentes o mais rápido possível e, assim, a maximizar a produção. A aplicação da tecnologia também permite a redução drástica do uso da mão de obra humana.

 

A consultora de desenvolvimento de softwares em IoT da ThoughtWorks, Desiree Santosafirma que a barreira entre o físico e o digital está se desfazendo cada vez mais rápido, e a interconexão destes mundos “é inevitável”. Ainda que leve algum tempo, o movimento na direção da interconexão é inevitável. “China e Alemanha são pioneiros, com alguns setores mais concentrados. Em países como o Brasil, as coisas estão andando um pouco mais devagar. Ainda há barrerias, inclusive culturais, a serem vencidas. Mas a tecnologia veio para ficar e as opções de aplicação são quase infinitas”, afirma.

 

IoT no Brasil

No Brasil, diz Desiree, a cultura de inteligência artificial está caminhando. Um dos empecilhos, porém, é o preço ainda elevado para pequenas e médias empresa, afirma. “Toda nova tecnologia é cara”, diz. “Com o passar do tempo, porém, o número de fornecedores tende a crescer, com concorrentes criando formas diferentes de produzir. O que acabará reduzindo os preços e ampliando o leque de possibilidades”, diz.

Monitoramento: entenda como essa ferramenta pode ser aplicada no transporte

 

Monitoramento é um recurso indispensável àqueles que buscam maior eficiência na gestão do transporte de cargas. O acompanhamento em tempo real da movimentação das cargas pode aumentar a produtividade, eficiência e a segurança do seu transporte.

Segurança deve ser sempre uma prioridade

Inclusive, monitorar corretamente sua carga pode ser um diferencial do serviço, seja transporte urbano ou não.

Um excelente instrumento facilitador desta tecnologia é o monitoramento veicular por meio de câmeras DVR veiculares, com monitoramento via 4G.

Desta maneira, o motorista se sentirá mais seguro, pois sabe que tudo que está acontecendo no trajeto está sendo monitorado, e esse monitoramento pode servir até de respaldo jurídico para fundamentar atos de terceiros que possam comprometer a carga, ou até viabilizar comprovantes de casos fortuitos ou força maior.

Além do motorista, o veículo e a carga serão melhor protegidos contra roubos e furtos, pois será possível tomar medidas de segurança de imediato, como acionamento de patrulhas de estrada ou serviços de resgate e localização.

Vantagens de monitorar sua carga

Monitoramento é algo que traz muitas vantagens, como os exemplos a seguir:

  • Pode ser feito em tempo real ou após a gravação de imagens para avaliar o trajeto ou qualquer outro fator;
  • Monitoramento em tempo real necessitará da instalação de um chip 4G no aparelho veicular e as imagens estarão disponíveis a qualquer hora, pelo celular ou tablet.

Perdas com acidentes e roubos ou furtos de carga trazem muito prejuízo às empresas e principalmente para contabilizar tais prejuízos.

Como a ideia do monitoramento é simplificar processos, existe a tecnologia TMS, ou Transport Management System, que significa sistema de monitoramento de transporte, que se consubstancia na integração de software entre o veículo e a empresa.

Um software de gestão integrada, além da segurança, proporciona a visão holística de toda a logística de entregas da empresa. É bem mais fácil ver todo processo acontecendo para verificar se a estratégia é, de fato, a melhor a ser adotada.

Na tecnologia TMS, é possível anexar gestão e monitoramento num mesmo software, em que até que os próprios colaboradores da empresa tenham acesso às imagens, utilizando qualquer navegador de internet.

Tecnologias complementares do monitoramento

Há produtos de monitoramento no mercado que possuem características especiais, tais como:

  1. Sensor de fadiga do condutor. Por meio de dispositivo infravermelho, o sensor pode emitir um alerta sonoro ao verificar sinais de cansaço do motorista, de modo que ele seja mais cauteloso e não arrisque sua própria vida e a integridade da carga;
  2. Aviso de colisão. Sensores de proximidade e de alinhamento com as faixas da estrada podem fazer com que uma colisão seja evitada e alertas possam ser emitidos à uma equipe de monitoramento para tomada de providências;
  3. Câmeras veiculares ainda contam com alta resolução (HD 720p ou Full HD 1080p), tecnologia IP66, ou seja, proteção contra água e poeira, visão panorâmica, um item que pode ser opcional, infravermelho e proteção contra roubos, furtos ou danos, por meio de um gabinete que prende a câmera no veículo, com sistema de travas.
  4. Esta tecnologia também poderá ser disponibilizada com gravação de áudio e sincronização.

Gostou do artigo? Acesse nosso site e entre em contato conosco para qualquer dúvida!

 

Qual a diferença entre estatística vs machine learning?

 

QUAL A DIFERENÇA ENTRE ESTATÍSTICA VS MACHINE LEARNING?

 

Quem está envolvido no meio industrial sabe que é bastante comum bater aquela pontinha de dúvida sobre qual a diferença entre Estatística Machine Learning, certo? Pois bem.

 

Para acabar de vez com essas dúvidas, reunimos algumas informações importantes para você ficar por dentro dos conceitos e também da forma com que eles se aplicam na área da indústria.  Ficou curioso? Então confira:

 

Para começar indo direto ao ponto, de um modo bem simples:

 

Machine Learning está relacionado a previsões, aprendizado com e sem supervisão, etc. Está ligado também à inteligência artificial e construção de sistemas, sendo um campo considerado relativamente novo na área da computação. Enquanto, a Estatística é entendida como um subcampo da matemática e faz referência às amostras, hipóteses, etc.

 

É claro que muitos e muitos outros conceitos vêm à tona quando se toca nesse assunto. Data MiningData ScienceBig Data,…Ufa! Muita informação, não é mesmo? Com certeza vamos explicar tudo isso com mais detalhes em próximos posts. Mas, de início, para simplificar, basta entender que todas essas palavras se relacionam à coleta de dados e são terminologias que se sobrepõem no ambiente industrial, embora muitas vezes pareçam até mesmo um pouco similares e repetitivas.

 

Estatística

Por agora, é importante destacar que quando falamos em Estatística, por exemplo, é impossível não levar em conta todo o viés matemático implícito neste termo. O significado está muito relacionado a considerações, hipóteses e suposições.

 

Machine Learning

Por outro lado, o Machine Learning tem uma relação mais direta com a ciência da computação e a inteligência artificial, ou seja, com análises e previsões que incluem grande complexidade, estruturas abstratas de dados, entre outras coisas. Além disso, se refere a um grande conjunto de técnicas que visam construir sistemas cujo comportamento seja definido com base em dados existentes.

 

De início, pode parecer que são coisas completamente diferentes, mas não. Na verdade, as duas apresentam diretrizes bastante parecidas, porém um pouquinho distintas nos conceitos praticados. Veja:

 

Comparativo:

Estatística Machine Learning
Estimation Learning
Classifier Hypothesis
Data Point Example/ Instance
Regression Supervised Learning
Classification Supervised Learning
Covariate Feature
Response Label

 

Ok, agora já ficou um pouco mais claro, não é verdade? Mas vamos simplificar um pouco mais?

 

Estatística se preocupa, basicamente, com o comportamento dos dados, ou seja, com médias, desvio padrão, variância, co-variância, correlação, e inúmeras outras medidas. Enquanto o Machine Learning está principalmente preocupado em resolver problemas, o que implica em predições e reconhecimento de padrões.

 

No português claro, o grande “x” da questão é que a Estatística utiliza os dados para tentar identificar padrões ou correlações. Por sua vez o Machine Learning utiliza os dados para aprender a fazer predições.

 

Conseguiu perceber a diferença? Ficou alguma dúvida?  Entre com contato com a gente!