SAP Business One: a melhor opção para as empresas em desenvolvimento

Usado para compilar todas as informações da empresa no mesmo sistema, o SAP Business One é um ERP (sigla para Enterprise Resource Planning) que auxilia no planejamento de recursos da organização. Por simplificar procedimentos corporativos, o SAP Business One é considerado um dos melhores mecanismos para a gestão. Confira mais detalhes abaixo sobre o SAP Business One para empresas em desenvolvimento:

Sistema SAP Business One

Engana-se quem acredita que o sistema serve apenas para grandes empresas. O SAP Business One é indicado para todo tipo de negócio, pois define-se como uma solução para a gestão, reunindo dados de todos os setores da empresa. É essencial pontuar que o SAP Business One é um software ajustável, ou seja, pode ser personalizado de acordo com as preferências da gestão. Dessa forma, o sistema é capaz de integrar dados de empresas dos mais variados portes. Além disso, o sistema integra-se com outros aplicativos da organização, coletando dados importantes por meio de sistemas auxiliares.

Características

O sistema conta com funções que facilitam a rotina da gestão empresarial. Grande parte delas são direcionadas ao ambiente corporativo, automatizando processos e favorecendo o ritmo de trabalho de forma mais eficiente para a gestão e colaboradores. Verifique as principais características abaixo:

• Planejamento: a partir do uso do SAP Business One, ou SAP B1, a organização é capaz de analisar o melhor momento para produzir determinado item ou serviço. Os indicadores organizados pelo sistema buscam auxiliar nas respostas como: qual produto criar, quando criar, com quais materiais, por qual valor entre outros.

O software disponibiliza um painel que é constantemente atualizado com os dados de estoque, vendas e estimativas. A medida auxilia na tomada de decisões da gestão, trazendo informações relevantes para o crescimento do lucro e diminuição de prejuízos. Resumindo, a empresa passará a produzir o que realmente trará retorno financeiro e saída de estoque.

• Integração: o sistema SAP Business One garante auxílio para outras áreas da empresa, prestando suporte para outros setores do negócio. A função traz um amplo panorama sobre toda a organização, em tempo real. A partir disso, a empresa pode estudar melhor seus indicadores, analisando a performance e eficiência em situações rotineiras.

• Personalização: como um software editável, o SAP B1 permite que suas funcionalidades sejam personalizadas de acordo com as preferências do negócio e seus objetivos. Mesmo as empresas com um nível operacional complexo podem contar com os serviços do software para garantirem mais simplicidade ao dia a dia corporativo e suas obrigações.

• Experiência: o sistema traz a possibilidade de um negócio mais competitivo ao melhorar a experiência do cliente. Isso é possível por meio da implementação em nuvem, que favorece a negociação para os vendedores a partir da coleta de informações relevantes sobre as compras e consumidores.

Competitividade

Veja de que forma o SAP Business One pode deixar o negócio mais competitivo dentre outras organizações do mercado:

• Padronização: automatização e padronização de processos para trazer rapidez à rotina e diminuir eventuais erros;

• Custo-benefício: o investimento feito com o software SAP Business One, principalmente para pequenas empresas, resulta em economia no futuro e aumento de lucro;

• Eficiência: a agilidade nos processos rotineiros permite que a gestão concentre forças em assuntos primordiais para o crescimento da empresa.

Taking on the late shift with true dedication

Os passos necessários para implementar um sistema ERP na sua empresa

Sua empresa cresceu e, além de todo o trabalho, será preciso ter planejamento e dedicação. O que te leva ao próximo passo: instalar um sistema de ERP na sua empresa. Se for a primeira a vez, ou caso você procure por algo que deve atender melhor ao seu negócio, é importante ter em mente alguns passos necessários para ter sucesso na instalação do sistema de ERP na sua empresa.

E se você ainda tem dúvidas sobre essa decisão, acesse aqui e descubra os 5 sinais de que a sua empresa precisa de um sistema ERP.

1. Saiba com exatidão quais são as demandas e planeje

Um sistema de ERP servirá para otimizar a sua gestão, integrar áreas e entregar inteligência e praticidade. Mas, para que você possa ter efetividade na escolha do sistema, é fundamental saber exatamente quais as dores principais que ele precisa resolver para melhorar a sua rotina. Portanto, o primeiro passo é avaliar em todas as áreas que serão integradas quais os problemas que precisam ser resolvidos, em seguida, é preciso mensurar os indicadores que serão avaliados e quais os seus objetivos para eles.Esse processo de saber o que o motiva a escolher um ERP também será muito importante no momento de passar um briefing para o seu fornecedor, assim as expectativas do escopo ficarão alinhadas e ele saberá o que será importante para te atender a ponto de satisfazê-lo.

2. Estrutura e recursos

Para instalar um sistema, que deverá integrar os pontos de sua empresa, será necessário fazer um investimento tanto na compra e manutenção do sistema, quanto na estrutura. Afinal, é fundamental ter computadores, acesso à internet e alguns acessórios, para que o processo seja bem-sucedido. É importante lembrar que esse investimento trará resultado positivos em organização e bons resultados em desempenho, então é um investimento que valerá a pena.

3. Treinamento da equipe

Essa talvez seja a parte mais fundamental para determinar o sucesso do projeto e garantir a satisfação ao instalar um sistema ERP na sua empresa.

É fundamental que as equipes envolvidas estejam dispostas e saibam como utilizar o sistema, pois o investimento seria perdido caso os colaboradores não adotem o sistema.

Procure por um fornecedor que possa acompanhar todo o treinamento, monitoramento e suporte para a utilização do sistema ERP escolhido.

Capacitar os colaboradores que atuarão com o sistema é a melhor forma de tirar proveito do que essa tecnologia pode fazer pelo seu negócio.

E estabeleça feedbacks periódicos para entender como está o funcionamento do programa e a relação da equipe com ele.

4. Pesquise e encontre o melhor

Existem diversos sistemas de ERP disponíveis para a contratação. Cada um deles terá uma especificidade, e algum deles terá exatamente o que você precisa, sendo assim é fundamental tirar um tempo para pesquisar a fim de encontrar o melhor.

Busque por empresas consolidadas no mercado, que possuam os diferenciais pelos quais você busca e possam oferecer um valor competitivo para o seu investimento.

Conheça a PWIT

Oferecemos soluções tecnológicas personalizadas com a tecnologia e a qualidade que você busca para auxiliar no crescimento dos seus negócios.

Contamos com diversas opções em sistema de gestão para indústrias de transporte e logística. < a href=” https://pwit.com.br/contato-pwit/”>Fale conosco e conheça.

Three young designers using a laptop together at work

Os benefícios que um software de gestão traz para a sua empresa

Grande parte das obrigações fiscais, tributárias, previdenciárias, trabalhistas, entre tantas outras pertinentes às empresas, já é automatizada, o que acabou levando ao aumento do investimento em sistemas de gestão. Exemplo de sistema muito importante para a gestão de um negócio é o de contabilidade.

Lidar com as finanças da empresa, pontuando o fluxo de caixa, os gastos, despesas, lucros, obrigações fiscais, entre outros tantos detalhes requerem um controle mais efetivo. Sem isso, as chances de a empresa se perder em sua contabilidade são grandes, o que significa uma ameaça à saúde da corporação.

São diversos os motivos para você decidir em um software de contabilidade para a sua empresa. Confira, a seguir, os principais.

Integrar com demais interfaces de trabalho

Grande parte das empresas, independente do porte, detém diversas ferramentas e sistemas diferentes para cada área ou processo, como gerir rotinas administrativas, por exemplo. Muitas companhias utilizam várias ferramentas para gerir seu estoque, suas rotinas administrativas, gestão de pessoas, contábeis e financeiras.

Porém, ao lidar com todas essas ferramentas distintas juntas, abre espaço para que a gestão seja confusa, haja retrabalho e se gerencie negativamente o tempo de sua equipe. Por conta disso, um software que consegue integrar outras ferramentas é tão importante para as empresas.

Com o uso de um software de contabilidade, todos os processos e dados relacionados à contabilidade são reunidos em um só local, possibilitando à equipe e aos gestores uma análise mais assertiva sobre cada atividade que está em curso.

Segurança de informações

O armazenamento em nuvem é a melhor opção para resguardar os dados de um sistema contábil, que lida com tantas informações importantes e delicadas da empresa. Com isso, as chances de um roubo de dados são muito pequenas.

Além disso, o armazenamento em nuvem permite a organização das rotinas de trabalho, proporcionando maior praticidade e agilidade para as equipes. A contabilidade é um complexo sistema de informações e por isso precisa ser resguardado e disponibilizado com exatidão para auxiliar os gestores.

Redução de custos

Ao adotar um sistema contábil eficiente, a empresa consegue ter uma visão global e realista sobre as suas finanças, decidir aonde deve investir e onde economizar, reduzindo assim os curtos desnecessários de suas operações.

Além disso, a adoção desse sistema reduz custos com burocracia, treinamentos, retrabalho e inconsistências que podem prejudicar os processos e, consequentemente, as finanças da empresa.

Aumento da produtividade

O aumento de produtividade pode ser sentido de imediato, já que proporciona para as equipes do setor de contabilidade muito mais eficiência operacional e praticidade em suas rotinas. Com isso, os processos digitais melhoram a agilidade na realização de tarefas. Para isso, o software deve ser de interface simples e fácil de ser usada pelos colaboradores da empresa.

Melhora a tomada de decisão

Um banco de dados volumoso, porém unificado, facilita e muito o diagnóstico de falhas e problemas que a empresa vem enfrentando em seus setores.

Um bom sistema contábil oferece relatórios, gráficos e indicadores precisos de desempenho da área contábil. Consequentemente, isso facilita a resolução de problemas e, então, a tomada de decisões, evitando assim que maiores problemas ocorram.

Conte com uma integração eficiente para os sistemas da sua empresa. Acesse nosso site e conheça nossos serviços em tecnologia.

5 sinais de que a sua empresa precisa de um software ERP

A transformação digital é uma realidade no setor logístico. E com ela, novas tecnologias estão proporcionando maior modernidade e eficiência para a gestão de processos, estimulando a produtividade e melhorando os resultados.

Entre esses recursos, um dos mais indispensáveis é o sistema de gestão ERP (Enterprise Resource Planning), que promove maior fluidez da comunicação e uma visão global da empresa como um todo, automatizando processos e centralizando dados de diferentes setores.

Apesar disso, muitos gestores ainda pensam que um ERP é um investimento exclusivo às grandes corporações. Mas isso não é verdade. Inclusive, por mais que a sua operação esteja fluindo bem, a verdade é que ela poderia ser ainda mais assertiva com o auxílio de um software.

Pensando nisso, nós vamos te mostrar cinco sinais que evidenciam a necessidade de investir em um sistema de gestão ERP. Confira:

Dificuldade em compartilhar informações

O uso de diferentes planilhas de softwares e planilhas para os setores da sua empresa, como o de frotas, estoque, contábil, recursos humanos e outros, gera insegurança na tomada de decisão e dificulta a identificação de gargalos nos processos.

Com a centralização de informações promovida por um ERP, os departamentos de sua transportadora promovem uma troca de informações que gera maior possibilidade de insights – a propósito, o próprio sistema de gestão gera relatórios automáticos que contribuem para decisões assertivas.

Erros operacionais frequentes

Inegavelmente, tarefas manuais são mais suscetíveis a erros, mesmo as mais simples, como o preenchimento de uma nota fiscal, por exemplo.

Não obstante, elas também afetam a produtividade, já que as informações não são compartilhadas entre os setores. Erros de preenchimento em planilhas podem virar uma bola de neve e trazer graves consequências financeiras para o seu negócio. Logo, é hora de investir em um software ERP e automatizar os processos burocráticos, mantendo o seu time voltado para estratégias mais direcionadas ao core business do seu negócio.

Descontrole dos custos

Em tempos de pandemia, reduzir custos sem perder a eficiência (um desafio ainda maior na logística) consiste em vantagem competitiva no mercado. Ao otimizar os processos da sua transportadora, você consegue aproveitar melhor a sua frota, mitigar falhas graves e, assim, reduzir custos, ou empregá-los em um investimento mais estratégico.

Falhas na segurança

À medida que sua empresa cresce, os cuidados com as informações que ela gera devem ser ainda mais rígidos. Se você sente que a sua transportadora já não é mais capaz de administrar os dados de forma ordenada e segura, é hora de investir em um sistema de gestão ERP, que promove confidencialidade e integridade através de níveis de acesso estabelecidos e dados altamente protegidos.

Baixo nível de satisfação dos clientes

Se a sua transportadora não está monitorando e promovendo as entregas da maneira devida, a consequência óbvia é a baixa satisfação do seu cliente. Com um ERP, você aumenta sua capacidade de roteirizar melhores trajetos e aprimorar a sua gestão de frotas.

Gostou das dicas? Nós da PWIT contamos com soluções exclusivas em sistema de gestão para indústrias de transporte e logística. Entre em contato e conheça mais!

Successful IT developer.

Saiba como um software pode te ajudar a controlar sua empresa

 

É inegável não notar os avanços que a tecnologia trouxe para os empreendedores que buscam soluções práticas e efetivas para o aumento de resultados.

Afinal, com a concorrência cada vez mais competitiva e os diversos mercados em expansão, as empresas precisam de ferramentas que otimizem a matemática de suas contas e que mantenham a qualidade no atendimento ao cliente.

Por isso, nesse artigo, falaremos sobre a importância do software no controle de sua empresa e quais os benefícios que ele pode proporcionar para o crescimento de seu negócio. Vem com a gente!

As vantagens de utilizar a tecnologia para controlar a sua empresa

Confira a seguir 5 grandes vantagens que você terá ao usar o software para impulsionar os resultados de seu negócio:

1- Maior controle nas operações do negócio

Automatizar os processos por meio de softwares de logística fará grande parte das informações ficar inserida em uma única base de dados. Dessa forma, o seu compartilhamento será facilitado e o gerenciamento das atividades se tornará mais efetivo, trazendo análises que identificarão pontos de melhoria ao longo do processo.

2- Processos otimizados

Por meio da tecnologia, diversos trabalhos que antes eram realizados manualmente agora podem ser concluídos em um curto espaço de tempo. Além disso, os softwares trazem mais confiança ao processo, garantindo a segurança das informações e simplificando o modo de trabalhar.

3- Agilidade na comunicação

A utilização de softwares de logística contribui para uma comunicação mais ágil e eficiente, já que a troca de informações é realizada praticamente em tempo real.

Isso é uma enorme vantagem para o setor de logística, já que a velocidade se torna uma verdadeira vantagem competitiva em relação aos concorrentes do mercado.

4- Visão integrada

Após a integração dos processos, é possível acompanhar de perto o desenrolar das atividades, além da facilidade em identificar falhas que comprometam a agilidade do procedimento. Sendo assim, por meio da tecnologia, é possível acompanhar toda a jornada de um processo, que vai desde o pedido do cliente até o momento em que o transporte chega em seu destino final.

5- Redução nos custos da empresa

Talvez a maior vantagem no investimento de softwares para a logística seja o fato dos custos serem reduzidos. Isso ocorre pois, como vimos acima, haverá uma otimização e um aumento de produtividade que reduzirá os desperdícios e trará um maior controle sobre os processos de decisão. Portanto, a utilização de tecnologia é o melhor custo-benefício para quem busca empreender e gerenciar o controle de uma empresa.

Como vimos no artigo, os softwares são um excelente investimento para ser aplicado no gerenciamento de qualquer negócio. Por isso, nós da PWIT oferecemos o melhor da tecnologia para você gerenciar os seus processos de logística, como a roteirização, gestão de frotas, monitoramento de veículos, entre outros. Confira os nossos serviços e entre em contato conosco para mais informações.

E aí, gostou de conhecer mais sobre esse assunto? Então leia outros artigos em nosso blog e encontre novas dicas sobre como otimizar os processos de seu negócio.

Por que minha empresa precisa estar atenta as exigências do GDPR, CCPA e LGPD?

 

As pessoas costumam deixar suas pegadas por onde “passam”, isso significa que informações de usuários ficam registradas a cada navegação, contato, login, like, deslike e follow. Essas informações digitais seriam dados pessoais?

Bem, para início de conversa, dado pessoal de acordo com a LGDP é todo aquele que identifica, direta ou indiretamente, um indivíduo, tal como nome, RG, CPF, telefone, endereço residencial, localização via GPS, hábitos de consumo, preferências, endereço IP, cookies, e outros.

Um item ou mais dessa lista podem incluir os dados tratados por uma empresa como dado pessoal. Importante destacar que esses registros não são exclusivos do ambiente da internet. Eles se ampliam para o uso de tecnologias nos mais diversos lugares tais como: cadastro em loja física, biometria na portaria de um prédio, hospedagem em hotéis, registros em hospitais, órgãos públicos, operadoras de telefonia e bancos.

Confira agora os principais pontos das leis GDPR, CCPA e LGDP que tratam da proteção à privacidade de dados pessoais.

 

Como fazer para minha empresa se adequar?

A GDPR, CCPA e LGDP são legislações de privacidade de dados pessoais e diferem um pouco entre si, principalmente, devido a sua origem. A LGDP é brasileira, a GDPR é da União Europeia e a CCPA é do estado da Califórnia nos Estados Unidos.

Ainda que existam leis estrangeiras, é preciso considerar que os estrangeiros podem acessar o site da sua empresa ou mesmo serem visitantes físicos reais em solo brasileiro. Por esse motivo, é necessário ficar atento para se adequar da melhor forma possível às três legislações.

De modo geral, entende-se que a LGDP foi baseada na GDPR e as duas assemelham-se muito tornando a adequação mais fácil. Considerando também que todas essas legislações se baseiam em princípios como o da transparência e o consentimento, existem três passos básicos para sua empresa seguir:

 

1 – Consentimento e transparência

O dono dos dados pessoais é a própria pessoa a quem eles dizem respeito, e não é propriedade daquela instituição que realiza o tratamento dos dados. Todo usuário deve saber que os seus dados estão sendo coletados e a empresa tem a obrigação de explicar qual será a finalidade do tratamento dos dados.

É necessário deixar as informações de coleta bem claras ao usuário para que ele saiba o que está acontecendo e decida se concorda ou não em ceder seus dados. Fazendo isso, a empresa está agindo de acordo com a transparência, respeitando o usuário e agindo de conforme a lei.

2 – Cookie banner

É inviável coletar manualmente o consentimento de todos os usuários. Sendo assim, é possível utilizar um cookie banner em seu site que servirá para informar aos usuários sobre a coleta dos dados e pedir o consentimento. Lembrando que o cookie banner deve estar configurado para informar ao usuário o objetivo da coleta das informações.

Por meio do cookie banner fica tudo registrado e o usuário poderá aceitar todas as condições, só algumas ou nenhuma.

 

3 – DPO para proteção de dados

O DPO é um profissional especialista em proteção de dados, sua função inclui monitorar a empresa para que a legislação seja seguida e a transparência garantida.

De acordo com a LGDP, artigo 5º, o DPO é uma pessoa indicada da empresa que atuará como canal de comunicação entre o controlador, os titulares dos dados e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

A empresa pode escolher entre nomear um colaborador internamente para exercer essa função ou até mesmo terceirizar esse serviço.

Fique atento às melhores práticas de adequação às legislações de proteção à privacidade dos dados pessoais. Ao garantir que sua empresa está seguindo a legislação, você estará melhorando a relação com seus usuários e se prevenindo contra possíveis multas pelo não cumprimento da lei.

Privacidade de dados: 3 coisas que a sua empresa precisa saber

 

A internet e as tecnologias da informação evoluem de maneira cada vez mais acelerada. As mudanças são tão rápidas que os usuários precisam se adaptar diariamente, o que traz a luz discussões muito importantes sobre alguns temas.

A segurança da informação na rede foi, por muito tempo, um assunto deixado de lado, até que a internet se tornou tão essencial para a vida cotidiana, que novas legislações precisaram ser criadas.

Assim sendo, criamos um pequeno guia sobre a privacidade de dados com 3 coisas que a sua empresa precisa saber para não cometer equívocos ou até mesmo pagar judicialmente por isso. Confira!

 

O que é LGPD?

O termo LGPD está em voga quando falamos em segurança online. Trata-se da sigla para Lei Geral de Proteção de Dados. Essa legislação é um marco na justiça brasileira, ditando as ações e protocolos a serem seguidos para tratar os dados pessoais na rede ou no off-line.

 

Definição de dados pessoais

As empresas têm até agosto de 2021 para se adaptarem às mudanças implementadas através dessa lei, de modo que é essencial compreender as minúcias e a sua interpretação, afinal a multa pode chegar ao montante de R$ 50 milhões para os infratores.

 

Dados pessoais são aquelas informações que permitem identificar o usuário.

Por exemplo: se o seu cliente se inscreve em uma lista de newsletter, você consegue um meio de comunicá-lo, sabe o seu nome e até o telefone em alguns momentos, assim sendo, você se torna um protetor desse dado pessoal que lhe foi entregue.

 

Quais são os passos a serem seguidos na proteção de dados?

O texto da lei pode parecer confuso, dessa maneira, elaboramos este pequeno roteiro com 3 passos para que a sua empresa se adapte a essa nova realidade o quanto antes.

 

#1 Nomeie um responsável pelo setor

A proteção de dados se tornou um novo setor no seu negócio. Isso não significa mais gastos, mas uma nova função que precisa ser suprida. Esse colaborador tem como função orientar a equipe sobre a maneira correta de tratar os dados e investigar possíveis falhas.

Ainda, é o seu papel elaborar medidas e ações para prevenir o vazamento de informações, seja através do sistema ou até mesmo furto de um hardware que contenha tais dados.

 

#2 Peça autorização ao usuário

Consentimento é a palavra-chave para se adequar a essa nova realidade. O usuário precisa estar ciente de que os seus dados estão sendo coletados e qual é o objetivo da empresa.

Tal consentimento deve ser por vontade do usuário, ou seja, você pode obrigá-lo a receber a newsletter para poder acessar o seu site. Ainda será essencial manter o registro da aprovação como prova.

Além de ser essencial uma autorização clara para obter os dados do usuário, ele deve manter o direito de retirá-los da base de dados da empresa.

 

#3 Informe a sua equipe

Nem os cidadãos estão cientes dessa lei, portanto é o dever do gestor desempenhar esse papel e informar aos seus colaboradores sobre a nova medida.

Os dados dos clientes são privados e não podem ser divulgados, exceto quando há autorização expressa do mesmo.

Com o fenômeno da transformação digital, a rotina mudou e ainda tem muito a evoluir. Assim sendo, as empresas precisam se adaptar rapidamente para estarem preparadas e entrar nesse novo modo de fazer negócios.

 

Nós da PWIT somos uma consultoria especializada em integração de tecnologias e estamos preparados para responder todas as suas dúvidas sobre o método correto de proteger os dados do seu negócio e dos seus clientes. Entre em contato agora mesmo para compreender como podemos ajudá-lo.

 

 

Por que minha empresa precisa estar atenta as exigências da LGPD?

 

Depois de muitas idas e vindas, a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), finalmente foi aprovada pelo congresso Nacional e sancionada e já está em vigor. Para quem acha tudo isso novidade, a LGPD existe desde agosto de 2018. Passando pelo período de Vacatio Legis, período legal para uma lei entrar em vigor, ela aguarda somente a assinatura do nosso presidente.

 

Em tempos de pandemia, a LGPD com certeza é o segundo assunto mais comentado nas redes sociais depois do COVID-19. Esse é um fator crucial para se atentar a importância da lei. Ou seja, é um caminho sem volta. Mas afinal, o que é a LGPD ? A Lei Geral de Proteção de Dados, Lei N. 13.079/18 é a responsável em regulamentar o tratamento e a segurança de dados pessoais e sensíveis. Ela consolida e modifica alguns artigos do Marco Civil da Internet e também impacta diretamente outras normas e gerará uma grande transformação na maneira em que as empresas tratam e asseguram a privacidade de nossos dados.

 

A LGPD foi inspirada na GDPR (General Data Protection Regulation), lei europeia que entrou em vigor em maio de 2018 e fez com que empresas tivessem que entrar em conformidade e se adaptar de forma rápida antes de sua vigência. Resumindo, a LGPD obriga que todas as empresas que coletam nossos dados em território nacional, mesmo as estrangeiras, sejam claras e transparentes com os mesmos, pois temos o direito de saber para que coletam, como e onde armazenam, com quem compartilham e até mesmo como os destroem. Afinal, nós somos os “donos” dos nossos dados e temos o direito de saber.

 

Mas afinal o que são dados pessoais, dados sensíveis e dados de crianças e adolescentes ?

Dados pessoais são aqueles dados que podem, sozinhos ou em conjunto, identificar uma pessoa natural. Pessoa natural ? Sim. Pode parecer estranho, mas muito em breve teremos “pessoas cibernéticas”.  Aqui vão alguns exemplos de dados pessoais: nome, RG, CPF, endereço, e-mail, número de cartão bancário, IP de seu computador, etc.

 

Dados sensíveis são aqueles que de alguma forma tenham características mais reveladoras, como sexo, etnia, religião, biometria, uma simples radiografia dentária, associação ou filiação política, opção sexual, dentre outros. Esses dados necessitam de maior controle por parte das empresas que os captam. Todos os Dados de crianças e adolescentes são considerados dados sensíveis. Esse é um ponto importantíssimo. Imaginem a quantidade de dados sensíveis de crianças e adolescentes que há na base de dados de uma escola ?

 

Mas afinal de contas, o que isso impacta no negócio da minha empresa ?

As empresas que captam tais dados de seus clientes, deverão ter um plano de conformidade interno e justificar a sua finalidade de forma explícita de acordo com as Bases Legais prevista na lei. Se tais dados forem armazenados ela deverá ter políticas internas de como ele será usado, qual a sua finalidade, de que forma ele será armazenado, por quanto tempo ele será armazenado, com quem ele foi compartilhado e até mesmo como ele será apagado.

 

A empresa também deverá oferecer formas e meios para que o “dono” de tais dados possa ter um controle de suas informações. Caso ocorra algum vazamento, roubo etc., a empresa deverá comunicar os “donos” desses dados de maneira ágil e eficaz e quais foram as ações tomadas de acordo com o plano de conformidade que foi desenvolvido.

 

Além disso, a empresa deverá ter uma pessoa responsável pelo controle e melhores práticas de tratamento desses dados, o chamado DPO (Data Protection Officer), que será o guardião dos dados e o responsável em fazer a empresa seguir o plano de conformidade implementado e também será responsável em disseminar e treinar os colaboradores da empresa sobre a nova legislação. Essa função pode ser interna ou externa, através de uma consultoria especializada.

 

É importante deixar claro que a LGPD não veio para “engessar” nenhuma empresa e nenhum negócio. Muito pelo contrário. Ela veio regulamentar e ajudar as empresas a terem mais transparência, bem como mostrar aos seus clientes a importância que seus dados tem a ela. É uma grande oportunidade para as empresas se diferenciarem no mercado perante seus clientes.

 

A LGPD prevê punições e sanções, como qualquer outra lei. Portanto, fique atento a legislação para que sua empresa não corra o risco de sofrer tais punições, sendo a maior delas a imagem de sua empresa perante o mercado.

A gestão de riscos aplicada no setor logístico das organizações

 

O que muda quando as empresas não focam na Gestão de Riscos do processo logístico? Como imprevistos podem afetar uma organização que não antecipou problemas na operação? Todos esses elementos fazem parte de uma Gestão de Riscos voltada para a cadeia de suprimentos.

A principal razão para implementar esse tipo de iniciativa é a prevenção de prejuízos financeiros, otimizar a relação com os clientes e conquistar a confiabilidade no mercado. Por esse motivo, o objetivo dos gestores da área deve ser o desenvolvimento de estratégias ligadas ao mapeamento de perigos e a solução de problemas.

Pensando nisso, o nosso objetivo é fornecer orientações para que você possa entender como esse conceito funciona na prática. Continue lendo e conheça mais detalhes:

 

O que é a Gestão de Risco?

Em termos simples, a atividade de Gestão de Risco é processo de organizar recursos, pessoas e materiais, com o intuito de identificar problemas que podem afetar o fluxo da operação.

Em um primeiro momento, essa análise tem caráter preventivo para identificar os principais danos e de que forma poderiam afetar a organização ou aos clientes. Mas saiba que os riscos não representam apenas problemas. Há casos em que incertezas podem ser transformadas em oportunidades.

 

Quais são os riscos do setor de transportes?

Em geral, o gerenciamento de riscos aplicado ao setor logístico tem relação com a Gestão de Frotas para proteger tanto os veículos, como as mercadorias embarcadas. Como incidentes podem ocorrer em todas as etapas do transporte, é fundamental contar com o emprego de tecnologias que ajudam otimizar a movimentação de mercadorias.

 

Não planejar as rotas de entrega

Esse aspecto pode se manifestar em dois cenários. Em primeiro lugar, com a falta de planejamento da rota, o que resulta em queda da produtividade e prolonga o prazo de entrega. Além disso, essa perspectiva é essencial para evitar trechos inseguros que poderiam expor a carga à ação de criminosos.

Para isso, a melhor solução é a adoção de sistemas de roteirização. A utilização dessas plataformas tem se tornado cada vez mais comum, devido a sua acessibilidade e a sua funcionalidade que cria a rota ideal para o transporte de mercadorias.

Não utilizar sistemas de rastreamento

Veículos constituem o patrimônio de maior valor das empresas de transportes, enquanto as cargas sobre sua responsabilidade são essenciais para a manutenção do negócio. Por esse motivo, o risco de roubo de cargas nas estradas deve ser encarado com seriedade.

Como medida de prevenção, as empresas instalam equipamentos de GPS na frota para acompanhar a sua localização em tempo real. Dessa forma, é possível estimar o prazo de entrega e garantir a segurança da carga, por meio do monitoramento de veículos.

Muitas empresas deixam de realizar investimentos, especialmente em tecnologia, por não compreenderem os reais benefícios dessa tática. Afinal, a busca pela eficiência não depende somente da correção de problemas, mas sim, da sua prevenção.

Por isso, é recomendado utilizar soluções para propiciar a melhoria da operação como um todo. Caso você tenha interesse em saber mais sobre o assunto, entre em contato conosco.

Semi Truck Maintenance

3 dicas para reduzir os custos de manutenção no seu setor de transportes

Quando não gerido de maneira eficiente, o setor de transportes pode gerar um custo elevado para uma empresa, onerando o seu financeiro e até mesmo fazendo com que esta deixe de crescer da forma que se planejou.

Afinal, reduzindo custos, tem-se mais dinheiro no caixa, que pode ser usado para promover a melhoria dos processos da organização, de maneira a fazer com que cresça e se destaque no mercado.

Ciente da importância disso, montamos este conteúdo para apresentar três dicas para reduzir os custos de manutenção no seu setor de transportes e, assim, geri-lo com eficiência. Confira:

1. Faça a manutenção preventiva de sua frota de veículos

O dia a dia de um setor de gestão de veículos é corrido, o que pode fazer com que os administradores esqueçam de realizar atividades importantes, que podem não apenas reduzir custos relativos à manutenção de veículos, mas também tornar a empresa mais eficiente, como por exemplo, a manutenção preventiva.

Hoje, a manutenção preventiva da frota de veículos é uma das melhores formas para evitar prejuízos que podem gerar custos mais elevados para a empresa.

É uma medida que evita que a organização tenha custos altos com a troca de peças de um veículo, quando, na verdade, se ela tivesse feito a manutenção preventiva, isso não seria necessário.

Nesse sentido, vale destacar alguns dos principais benefícios da manutenção preventiva como uma solução para o seu setor de transportes:

  • Economia de custos;
  • Evita quebras repentinas de peças do veículo, de maneira a aumentar a sua vida útil, o que, no final das contas, colabora para a redução de custos;

Para não esquecer da manutenção preventiva de sua frota de veículos, você pode fazer uso de um bom software de gestão de frotas, o qual, geralmente, conta com alertas automáticos para que lembre dessa importante tarefa.

2. Tenha maior controle em relação às rotas dos veículos

Rodovias, estradas ou avenidas com problemas de manutenção, como por exemplo, buracos, remendos etc., tendem a gerar mais custos para o setor de transporte de uma empresa, uma vez que colocam em risco o funcionamento adequado de seus veículos, considerando que desgastam pneus, entre outros equipamentos.

No entanto, isso pode ser evitado ao ter maior controle em relação às rotas que você cria para sua frota de veículos. Nem sempre pegar a rota mais curta é a melhor opção para uma empresa, vale dizer.

Uma forma de obter maior controle em relação à roteirização é contando com um bom sistema de gestão de frotas.

3. Adote um software de gestão de frotas

Por fim, não poderíamos deixar de destacar a importância de adotar um software de gestão de frotas para redução de custos de sua empresa.

Além de possibilitar que crie um programa de manutenção preventiva para cada veículo e uma rota com estradas em condições adequadas, um software de gestão de frotas permite o acompanhamento de sua equipe em tempo real, onde quer que ela esteja.

Na prática, isso contribui para redução de custos, uma vez que impossibilita que a sua equipe pegue rotas não planejadas ou saia do percurso, podendo, com isso, colocar em risco o adequado funcionamento dos seus veículos. Em outras palavras, gerar mais custos para seu negócio.

Agora que conhece algumas dicas para reduzir custos relativos à manutenção do seu setor de transportes, coloque-as em prática, e dê o fôlego financeiro que a sua empresa precisa para crescer de maneira segura e ágil.

Para ler outros conteúdos como este, não deixe de acessar nosso blog. Combinado? Estamos sempre publicando conteúdos que podem enriquecer mais seus conhecimentos.